Miriam Addor, vice-presidente e coordenadora do grupo de trabalho BIM AsBEA, fala sobre o BIM 5D

Miriam AddorO processo BIM (Building Information Modeling, ou Modelagem da Informação da Cons­­trução) vem ganhando cada vez mais espaço na construção civil ao auxiliar o desenvolvimento de projetos com mais qualidade e lucratividade. A novidade, agora, é o método BIM 5D, que será aplicado em um dos primeiros empreendimentos construídos pelo sistema no país, em Curitiba.

O Studios da 13, empreendimento da Porto Camargo Construtora e Incorporadora, é pioneiro ao adotar a tecnologia, que traz informações detalhadas sobre o custo da obra. O sócio da empresa, Rodrigo Porto, conta que a ideia de usar o método partiu da Proa Arquitetura Integrada, escritório que assina o projeto arquitetônico do prédio. “A Proa nos apresentou o BIM 5D e pensamos que ele poderia trazer vantagens tanto para nós quanto para o consumidor final”, lembra.

Aplicações

BIM representa o futuro da construção civil

Mesmo não sendo uma novidade, a utilização do processo BIM ainda não é explorada em toda a sua potencialidade no país. A avaliação é de Tiago Francisco Campestrini, sócio-diretor da Campestrini Gestão de Projetos e coordenador de BIM da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Grande parte das empresas fica presa ao software e não percebe que a principal vantagem está em usá-lo na busca de soluções para o empreendimento. “Para utilizarmos essa tecnologia, é preciso que haja um avanço cultural e uma disposição por parte das empresas”, analisa. Depois do Studios da 13, a Porto Camargo utilizou o BIM 5D no desenvolvimento de outros três projetos que serão lançados em Curitiba.

Para Miriam Addor, vice-presidente e coordenadora do grupo de trabalho BIM da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), a adoção do processo BIM está em fase de transição. “O BIM representa o futuro da construção civil. Ele possibilita fazer vários tipos de simulação para verificar qual tecnologia se adequa mais ao custo, estética e funcionalidade da edificação”, diz.

Segundo Rodrigo Freire, arquiteto e sócio-diretor da Proa, o BIM 5D será muito útil pela complexidade da obra. Localizada em um terreno pequeno, no Centro da cidade, onde existe uma construção catalogada como Unidade de Interesse de Preservação (UIP), que será mantida no empreendimento. “O método nos permitiu simular a logística do canteiro, onde vamos instalar a grua e como vamos construir 27 pavimentos sem degradar o patrimônio histórico”, diz.

Avanço no planejamento

O principal benefício do BIM 5D é a precisão do cálculo dos custos da obra. Tiago Francisco Campestrini, sócio-diretor da Campestrini Gestão de Projetos (que gerencia o método) e coordenador de BIM da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), explica que a ferramenta consegue produzir um modelo virtual do projeto em que é possível simular diversas soluções e, a partir delas, escolher a que melhor responde às necessidades de custo, prazo e qualidade da obra. “A construção civil baseia-se nesses três pilares. Podemos simular uma fachada com pastilha e com outro tipo de revestimento e ver qual delas é a melhor opção. Quanto mais soluções se cria, melhor o projeto se torna”, diz.

No Studios da 13, as simulações auxiliaram tomadas de decisão, como a escolha do revestimento da fachada e a do sistema de aquecimento de água.“O BIM ajuda a eliminar vários retrabalhos e incompatibilidades do projeto que só seriam percebidas durante a obra ou pelos usuários”, afirma Porto.

Fonte: AsBEA

Entre em contato

Não estamos disponíveis no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e nós reponderemos, o mais cedo possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?