Prefeitura publica decreto que oficializa o GeoSampa como a base oficial da cidade

geosampaA regulamentação também estabelece diretrizes quanto à organização dos dados municipais e sua disponibilização à população

No dia 03 de julho, a Prefeitura de São Paulo publicou no Diário Oficial o Decreto nº 57.770, que confere nova regulamentação ao Sistema de Informações Geográficas do Município de São Paulo (SIG-SP), isto é, o portal GeoSampa.

O decreto foi um grande avanço para a política de gestão de informações da cidade, pois além de oficializar o Geosampa como a base oficial do município, dá diretrizes importantes quanto à organização dos dados municipais e sua disponibilização ao cidadão.

A regulamentação do sistema implantado e de seus mecanismos de manutenção e desenvolvimento é um passo importante para garantir acesso ao grande volume de dados da cidade em um só ambiente. Isso permite maior agilidade no desenvolvimento de atividades de rotina dos servidores das secretarias e prefeituras regionais, desde a análise de processos administrativos até o tratamento de informações necessárias ao planejamento de políticas públicas.

O benefício é ainda maior ao cidadão, pois assegura o acesso livre à informação e permite a participação da sociedade na administração pública. Além de reduzir o custo com a prestação de informações, a medida evita o acúmulo de pedidos de acesso sobre temas semelhantes.

GeoSampa
A plataforma GeoSampa, mapa digital da cidade em formato aberto, mantido pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento – SMUL, possui uma rede de informações que compreende mais de 180 temas sobre a capital, como localização de semáforos e pontos de iluminação pública, croquis patrimoniais, dados sobre a população, equipamentos públicos e concessão da outorga onerosa do direito de construir.

Considerado uma referência de informação sobre serviços e equipamentos da cidade de São Paulo, o GeoSampa reúne ainda mapas históricos, arquivos de ortofotos – representação fotográfica de uma região da superfície terrestre, na qual todos os elementos apresentam a mesma escala, livre de erros e deformações -, imagens de satélite, fotografias aéreas, plantas, croquis e cartas antigas, como o mapeamento da cidade realizado nos  anos 30 – o Sara Brasil.

As inúmeras informações que constam neste mapa permitem diversas abordagens quantitativas sobre a cidade, além de análises qualitativas sobre nossas condições urbanas.

O número de acessos à plataforma não para de crescer. O progresso em relação a 2016 é notório e em março de 2017, inclusive, o GeoSampa obteve a expressiva marca de mais de 100 mil visualizações.

Fonte: CAU/BR

Entre em contato

Não estamos disponíveis no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e nós reponderemos, o mais cedo possível.

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?